Feijão é a nossa Salvação!

Feijão é a nossa Salvação! E por falar em mudanças climáticas…

 

Acontece que escolhas simples que fazemos todos os dias – ou três vezes ao dia – têm o poder de ajudar a proteger nosso planeta.

 

Recentemente, pesquisadores da Universidade Loma Linda divulgaram um novo estudo descobrindo que se os americanos simplesmente substituíssem a carne bovina em suas dietas por grãos, os EUA atingiriam imediatamente até 75% de suas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa até 2020.

 

Isto confirma o que já sabemos: Para proteger nosso planeta do Aquecimento Global, devemos começar a tirar produtos de origem animal, como carne, queijo e ovos para fora de nossos pratos.

 

 

A agricultura animal agora contribui mais para o aquecimento global do que todas as formas de transporte combinadas.

 

A indústria pecuária também engole enormes quantidades de recursos, incluindo a terra.

 

Parte do problema é que crescer e depois converter animais, especialmente vacas, em alimentos é tremendamente ineficiente.

 

Segundo algumas estimativas, apenas um por cento das calorias fornecidas ao gado acabam se traduzindo em calorias comestíveis para o ser humano.

 

 Isso significa que acres e hectares de terra são dedicados ao cultivo ou à alimentação do gado, em vez de alimentos para humanos.

 

Na verdade, 80% das proteínas das culturas norte-americanas, por exemplo, são para alimentar animais.

 

Isso seria suficiente para alimentar um bilhão de pessoas: todas as pessoas nos EUA, no Canadá e na América do Sul juntas.

 

Além disso, a produção de carne exige grandes quantidades de água.

 

Geralmente pensamos em banhos mais curtos quando pensamos em conservação de água, mas a agricultura é responsável por 80 a 90% do consumo de água.

 

Então o que

nós podemos

fazer?

 

Os pesquisadores de Loma Linda estavam no caminho certo quando propuseram trocar carne por feijão.

 

Produzir quantidades equivalentes de proteína de feijão requer apenas uma fração dos recursos necessários para produzir carne bovina.

 

Um estudo descobriu que, em comparação com a carne bovina, o feijão requer apenas um vigésimo do uso da terra por unidade de proteína consumida.

 

E quando se trata de água, o feijão requer apenas um décimo de água comparado para produzir carne bovina.

 

Melhor ainda, abandonar totalmente a carne em favor de alimentos à base de plantas reduz a pegada hídrica relacionada ao alimento de um indivíduo em quase 60%.

 

Com um benefício adicional, o que é bom para o planeta também é bom para a nossa saúde.

 

Como nutricionista, o feijão é um dos superalimentos que recomendo aos meus pacientes.

 

 

Os grãos são acondicionados com proteína, mas ao contrário dos produtos animais, pois estes são pobres em gordura, gordura saturada e colesterol ligados a doenças cardíacas, diabetes tipo 2, problemas de peso, demência e até mesmo alguns tipos de câncer.

 

O grão também contém fibras, um importante nutriente. A fibra, que só é encontrada em alimentos vegetais, pode ajudar a controlar o peso, diminuir o colesterol e até combater o câncer.

 

A fibra também ajuda a controlar a glicose no sangue, o que pode ser o motivo pelo qual os estudos mostram que o feijão pode desempenhar um papel importante na contenção da epidemia crescente de diabetes tipo 2.

 

Escolher mais alimentos à base de plantas é uma solução surpreendentemente simples para muitos dos problemas de nossa nação.

 

Como  mãe, estou preocupada. Ao menos que algo mude, nossa próxima geração – prevista para ser a primeira a enfrentar uma expectativa de vida mais curta do nossos pais – está com problemas.

 

Cerca de um terço das crianças de hoje já estão com sobrepeso ou sofrem de obesidade, e um terço acabará desenvolvendo diabetes tipo 2 em suas vidas.

 

Quando as crianças de hoje atingem a idade adulta, as projeções mostram que os gastos com saúde representarão um terço do PIB.

 

Além disso, eles enfrentam uma ameaça cada vez maior do Aquecimento Global, da qualidade do ar, da inundação e de todos os problemas de saúde que acompanham esses desastres.

 

Ao contrário, se simplesmente incorporarmos mais alimentos vegetais em nossas dietas, poderíamos encontrar soluções exponencialmente para todos esses problemas sem esperar que nossos líderes políticos nos acompanhe.

 

Pela saúde de nossas crianças e pelo planeta, mudar de hábito, vale a pena.

 

Por Susan Levin – EcoWatch

 

Mercado de orgânicos cresceu 20% em 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.